Internação da bebê: relato ....

Conforme vocês ja viram no post de relato de parto (se não viu acesse aqui) minha filha deu entrda na unidade neonatal após 3h do nascimento por conta do mecôniodisfunção respiratória e sepse. Quando eu a vi pela primeira na vez ela estava usando aquele capacete para ajudar a respirar, mas logo passou para o cateter nasal (isso no mesmo dia).

Por conta da infecção ela tinha muitas alterações na frequência respiratória(FR), chegando a fazer 93 de FR, quando o normal é abaixo de 60, essas alterações não a permitiram mamar pelo risco do leite ir aos pulmões, para compensar ela ficou tomando soro glicosado na veia. Para o tratamento da sepse foi receitado doses de ampicilina e gentamicina que é um anti-bacteriano. A toda hora eram verificado os sinais dela, sua saturação sempre foi boa, de tempos em tempos mediam o hgt dela para saber os níveis de glicose no sangue, afinal ela não estava mamando. Minha pequena-grande bebê sempre foi muito braba, mesmo quase não chorando  de tanta preguiça, e para deixá-la calma os médicos autorizaram o uso da chupeta (ainda bem que levei escondido na mala!), ela pegou o bico, dormia com ele depois largava.

No segundo dia (14/12) fui vê-la e me avisaram que o cateter nasal havia sido retirado, pois ela estava respirando bem, mas ainda tem alterações na FR. Passei o dia indo e voltado da unidade Neonatal, com os pontos da cesária doloridos, inchados, mas mesmo assim não deixei de ver minha filha, mesmo andando curvada ainda. Dia 15/12 quase 19h da noite, veio uma enfermeira correndo no meu quarto me avisar que a FR dela tinha baixado e ela poderia mamar um pouco, nessa hora esqueci os pontos e a dor e sai correndo, como era a troca de plantão pude dar só um pouco de peito. Depois da troca voltei lá e dei o mama da minha princesa, que mamou das 23h até as 3h da madrugada, tamanha era a fome da coitada.

Os dias foram passando tinha dias que ela mamava e tinha dias que não, dentro do hospital foram feitos exames de sangue, teste do pezinho e aquele terrível exame da punção lombar para verificar se tem meningite, minha guerreira sempre muito calma, não chorava para realizar os exames,  a única coisa que a deixa braba é a fome (puxou bem a mãe kkkkk ). Dia 18/12 ela saiu da incubadora, do soro e passou para o bercinho e pode colocar uma roupinha do hospital. Nos dias que se seguiram a Fr  se manteve em 60 e foi só baixando, só alterando quando eu não estava por perto, mamava bastante e ganhou rápido o peso que perdeu.

Ao todo foram 8 dias de internação, 8 dias de muita oração, muito choro guardado a sete chaves, não sabia se seria forte o suficiente, mas eu fui, aguentei até o último momento, desmoronei apenas uma vez, quando me deram alta, saber que poderia ir para a casa sem ela, me cortou o coração, mas aos pés da cruz eu cai e pedi pela vida, pela minha, pela dela e de outras crianças, pedi paz no meu coração para que pudesse cuidar dela, orei, orei e orei ... oração de mãe tem poder, sai de dentro daquela capela sabendo disso e depois disso, tudo se normalizou, ela ficou bem, sem alterações. Dia 20/12 passei em casa para pegar algumas coisas, tomar um banho decente, desmanchei a mala da maternidade dela e coloquei algumas coisas para levar quando ela recebesse alta, meu coração dizia que seria logo e realmente foi.

Dia 21/12 pediram para eu levar a bebê para pesar, pois iam fazer alguns exames nela, vários médicos a examinaram, cada um de uma especialidade diferente. Logo depois uma mãe que tinha recebido alta do seu bebê veio encher uma garrafa de água no bebedouro em que eu e outra mãe estavamos perto, foi então que falamos para ela: "já ta quase indo pra casa, coisa boa " e ela disse: " sim e vocês também! Vocês não sabiam ?? " .Nessa hora meu coração foi boca e voltou, fui correndo perguntar para a enfermeira, que confirmou com o médico, nós ireimos sim para casa, a promessa de Deus se cumpriu para mim no momento em que pus os pés fora do hospital, com minha filha nos braços e um sorriso enorme no rosto. Na mesma capela que chorei desesperada, fui levar meu choro de alegria e agradecer por Deus ter sido sempre tão presente em minha vida, por ter sempre os melhores planos para mim.

Precisei passar tudo isso para restaurar a minha fé em Deus, na vida e nas pessoas, pois foi vivendo tudo isso que pude ver os anjos que Ele colocou em meu caminho a todo instante, me apoiando, fazendo orações, cuidando da minha filha ... e hoje só tenho motivos para agradecer !!!


" Não vejo razão na minha vida sem ti, tu és meu Senhor e meu Deus ... " 

16 comentários:

  1. Mika,
    Que sufoco, ein?
    Graças a Deus deu tudo certo e está tudo bem com ela!!!
    Curta muito a princesinha!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Chorei lendo
    Pois passei por tudo isso tbm...mas nao consegui sair com meu filho nos braços...ele foi para os braços de Deus
    Deus abençoe sua pequena
    bjo

    ResponderExcluir
  3. Ai Mika chorei com este seu post...rsrsrs...não consigo nem imaginar o seu sufoco!! Mais uma vez quero te dar os parabéns pela sua princesa e pela força de vcs duas! Bjos

    ResponderExcluir
  4. Deus seja louvado.
    Graças a Deus tudo correu bem.
    Curta muito essa princesa <3
    Beijos
    http://simplesedocebyleh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Graças a Deus ao final tudo deu certo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Uffa que sufoco né?
    Mas passado o susto que vocês fiquem muito bem!

    Bjus

    http://esperando-esperar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Graças a Deus que tudo terminou bem r que Deus esteve com vocês.
    É muito bom sentir o cuidar do Senhor!
    Deus abençoe.

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Que emocionante, como conter as lágrimas?
    Deus é perfeito... Ele sempre sabe o que faz! Deu tudo certo...
    Que ele continue abençoando sua familia grandemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, que Ele abençoe a sua também. Beijo

      Excluir

Deixe sua opinião ou mensagem de carinho ♥ caso seja algo mais pessoal, pode falar comigo através do formulário que esta no menu principal.

Tecnologia do Blogger.